sexta-feira, 21 de julho de 2017

Bibliotecas, lugares de encontros


Economia social em acção

Cooperação
Em nome da Laredo Associação Cultural, com sede na Charneca da Caparica, pedi móveis ao Banco dos Bens Doados (ENTRAJUDA), há vários meses.
Finalmente, a resposta veio - explicámos os projectos em que neste momento a ajuda faria sentido, adaptámos o pedido e escolhemos mais peças. Tudo fácil, com a ajuda da Clara Gonçalves, da Laredo, e da Patrícia Felicíssimo e do Carlos Peixoto, do Banco dos Bens Doados, em Lisboa. Um abraço por um mundo mais sustentável, com menos desperdício e mais equidade.

Um dos destinos seria a biblioteca comunitária e inclusiva, Mithós a Ler, projecto que vamos desenvolvendo desde 2015 com a Mithós Histórias Exemplares, em Vila Franca de Xira. Para os transportar, um carro particular seria insuficiente.

A Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira acudiu-nos, serviço público em apoio à cultura e à intervenção cidadã. Com a ajuda da Joana Maia Nogueira, da Mithós, e do Fábio e de mais dois trabalhadores da Junta de que não consigo recordar o nome, ontem o material chegou a bom porto.

Eficácia. Reutilização
Na biblioteca, tudo foi encaixado, adaptado, limpo. Com ajudas: Sandra Fonseca, Hugo Sousa, Paula Sequeira, Marieta Benito, Susana Benito, Zezinha Conde, Manuela Ralha. Uma jornada muito alegre, das 8.30 às 19.00, 5ª feira, 20.07.2017. Uma trabalheira que nos torna o próximo passo um bocadinho mais fácil.

É impossível construir sozinho.


Maria José Vitorino
Laredo

(fotografias das instalações - em breve neste blog)

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Laredo: Desenho na ponta dos dedos



Papel cebola - sabem o que é?

"Este dispositivo tem sido usado na educação formal de crianças cegas servindo habitualmente para desenhos de cariz funcional (formas geométricas e grafismos próprios do mundo visual). Existe o preconceito de que como não veem…não vale a pena propor o desenho criativo. 
O meu desafio foi criar dinâmicas que permitissem a expressão em desenho construídas a partir deste recurso. Rapidamente se entendeu que era possível fazer jogos de adivinha tátil, seguidos de desenho, abrindo portas para registos imaginativos. Este recurso tem um potencial inclusivo muito forte. 
Concluí, que no geral, o desenho da figura humana sobre o “papel de cebola” executado por crianças cegas, não apresentava diferenças significativas dos desenhos de outras crianças sobre papel, obedecendo às mesmas características evidenciadas nos estudos de Piaget. Foi preciso explicar isto mesmo, muitas vezes… A partir daí, o “papel de cebola” e outros suportes planos, obedecendo ao mesmo objetivo, têm servido para múltiplas descobertas no campos das artes plásticas aplicadas à cegueira (e também de forma inclusiva). Introduzi esta metodologia nas actividades educativas do Programa Descobrir/Fundação Calouste Gulbenkian dedicado a públicos com necessidades educativas especiais no ano de 2012 e em diversos contextos de formação ao longo dos últimos anos. Recentemente, durante uma formação que dei no encontro "Caminhos de Leitura" (Pombal) conheci um grupo de mediadoras sociais de Coimbra que utiliza esta metodologia nos seus trabalhos, à semelhança da mediadora cultural Joana Maia (Mithos) no projeto “Vem calçar os sapatos do outro”. Como sempre o segredo não está na ferramenta mas sim nas metodologias imaginadas e investigadas…"
Laredo: Desenho na ponta dos dedos

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Carta Educativa - Vila Franca de Xira 2017-2022

Foto de Mithós Histórias Exemplares.

A quem puder participar - aqui está disponível o documento em discussão neste momento, para que a Câmara pede contributos, escritos ou orais. Na Mithós, faremos uma Tertúlia Mithós a ler a propósito, no dia 28 de Junho. Contamos com a colaboração da Laredo Associação Cultural, dos Pais em Rede, da Contramão, e do Ateneu Artístico Vilafranquense.

As próximas sessões oficiais de apresnetação da Carta Educativa do concelho são agendadas: 
21 de junho, EB23 D. António de Ataíde, Castanheira do Ribatejo, 17h30; 
28 de junho, EBI Bom Sucesso, Alverca, 17h00. 

O documento base, com um horizonte de aplicação de 5 anos (2017-2011?), tem 46 páginas (em pdf) e está a ser elaborado pelo CIES-IUL, por encomenda da Câmara Municipal. 

Propõe desde já, entre outras coisas 


"Criar condições na escola pública regular, nos próximos 5 anos, de inclusão de todos os alunos com NEE assegurando as melhores condições;" (p. 37) 

As metas quinquenais enunciadas são: 1. Frequência da escola por parte de 100% das crianças e jovens entre o pré-escolar e o 3º ciclo; 2. Elevar para 95% as taxas reais de conclusão no ensino secundário; 3. Reduzir o Abandono Escolar Precoce em 5%; 4. Reduzir em dois terços os atuais níveis de retenção escolar; 5. Certificar 2.500 adultos por ano nos diferentes ciclos do ensino básico e no ensino secundário "(p. 38). 

Para termos uma ideia da população abrangida (excluindo a educação de adultos, o ensino profissional e pos-secundário), em 2011 o censo apontava para 24.226 pessoas no concelho entre os 3 e os 19 anos, das quais 1000 (entre os 5 e os 19 anos) apresentando uma ou mais dificuldades permanentes associadas a uma deficiência. O total de residentes entre os 3 e os 18 anos era, em 2011 (INE, Recenseamento Geral), 24.300.  Num universo de 136.886, tal corresponde a 17,8 %, quase 1 em cada 5 habitantes em idade escolar. 

Em 2017, há no concelho 56 estabelecimentos de ensino públicos (incluindo o Centro de Formação do IEFP em Alverca) e 31 privados (incluindo IPSS e o Conservatório Regional Silva Marques, em Alhandra).

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Feira da Juventude - Maio 2017 - Vila Franca de Xira





Presença da Mithós no Festival da Juventude
Divulgação das propostas da Biblioteca Mithós a Ler

A Carta – Carta Portuguesa para a Diversidade

Carta Portuguesa para a Diversidade
A Mithós Histórias Exemplares é signatária.


As organizações signatárias desta Carta assumem a Diversidade como um imperativo ético, traduzindo-se num princípio basilar e orientador da sua atuação interna e externa, fazendo parte dos seus valores e da sua identidade institucional.
A Carta – Carta Portuguesa para a Diversidade

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Necessidades Educativas Especiais: "Sinto-me excluído de tudo"



 
Neste ano lectivo estão sinalizados como tendo NEE cerca de 82 mil alunos, mais 5% do que no ano passado. O maior aumento registou-se no ensino secundário devido ao alargamento da escolaridade obrigatória até aos 18 anos. Antes, muitos destes jovens desapareciam do sistema de ensino no final do ensino básico.
Necessidades Educativas Especiais: "Sinto-me excluído de tudo" - PÚBLICO

terça-feira, 4 de abril de 2017

Lista inicial de medidas e ações a considerar nos 5 eixos de intervenção | Portugal INCoDe.2030



Assegurar a generalização do acesso às tecnologias digitais a toda a população, para obtenção de informação, comunicação e interação.



Eixo 01, INCLUSÃO

Programa governamental, Portugal, até 2030 INCoDe.2030

2017





Lista inicial de medidas e ações a considerar nos 5 eixos de intervenção | Portugal INCoDe.2030

quarta-feira, 1 de março de 2017

Como detectar falsas notícias (fake news)




How to spot fake news
Critical thinking is a key skill in media and information literacy, and the mission of libraries is to educate and advocate its importance.
O pensamento crtítico é a competência chave na literacia dos media e da informação, e a missão das bibliotecas é educar e pugnar pela sua importância.


IFLA -- How To Spot Fake News

Candidaturas até 31.12.2017 - Linha de apoio a Turismo Acessível

Resultado de imagem para turismo de portugal all for all



Tornando mais acessíveis para os turistas, tornam-se os espaços públicos mais acessíveis para todos os cidadãos.

Esperemos que os municípios possam recorrer a esta linha de apoio e melhorar as condições de museus e monumentos - explicitaente referidos nas condições de financiamento.

Linha de apoio ao financiamento de projetos de Empresas (empreendimentos turísticos, restaurantes, animação turística, agências de viagem) e de Entidades Públicas (municípios, entidades regionais de turismo, gestores de museus e monumentos) para adaptações físicas e de serviço, de modo a tornarem a oferta turística acessível a todos - Despacho Normativo n.º 11/2016.

A Linha de Apoio ao Turismo Acessível visa a adaptação de espaços públicos, recursos e serviços de interesse turístico a pessoas com necessidades especiais, temporárias ou permanentes, de modo a garantir um acolhimento inclusivo a todos os turistas. Podem ser apresentadas candidaturas à referida Linha até 31 de dezembro de 2017.  

São, assim, suscetíveis de apoio financeiro os projetos que tenham em vista disponibilizar em espaços públicos com interesse para o turismo, em património visitado por turistas, incluindo museus e monumentos, bem como nos empreendimentos turísticos, estabelecimentos de restauração e bebidas, atividades e empreendimentos de animação turística, agências de viagens e outras atividades turísticas, os acessos e percursos de circulação, as condições de atendimento, os equipamentos e suportes informativos, adequados às exigências de turistas com necessidades especiais. 


Linha de Apoio Turismo Acessível prevê apoio financeiro de 90% do investimento até ao limite de 200 mil euros por projeto,  com uma dotação total de 5.000.000.


Ler mais aqui

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Lição de vida - inclusão (video)

Um video que chega da Dinamarca, sobre Inclusão. Sobre Nós. Todos.
"Seja qual for a religião, género, classe social, raça ou profissão daqueles que o rodeiam, uma coisa é certa: há aspetos que partilham, apesar de, aparentemente, poder haver mais a separá-los do que a uni-los."

Lição sobre inclusão

Ver o video aqui:
All That We Share Tudo Aquilo Que Partilhamos - YouTube

Laredo: Mithos a Ler: Formação em Vila Franca de Xira

Laredo: Mithos a Ler: Formação em Vila Franca de Xira

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Bibliotecas e Desenvolvimento Sustentável - têm tudo a ver!


O acesso a informação é um direito humano básico que pode acabar com o ciclo da pobreza e apoiar o desenvolvimento sustentável. A biblioteca é o único local, em muitas comunidades, em que as pessoas podem aceder a informação que os ajude a melhorar a sua formação, a desenvolver novas capacidades, a encontrar trabalho, a iniciar empresas, a tomar decisões informadas em matéria de agricultura e de saúde, ou a entender o que se está a passar com questões do meio ambiente. (...) 
As bibliotecas são para toda a gente 
Há bibliotecas em toda a parte, no campo e na cidade, na universidade e no local de trabalho. As bibliotecas atendem toda a gente, independentemente da sua raça, origem social ou étnica, género ou tendência sexual, idade, incapacidade, religião, situação económica ou crenças políticas. As bibliotecas apoiam as populações vulneráveis e marginalizadas e contribuem para garantir que não se neguem a ninguém as oportunidades básicas e os direitos humanos
IFLA, 2013 (trad. Laredo AC, a partir do original em inglês)

A FEBAB Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições traduziu dois documentos essenciais da IFLA, pensados para o nosso futuro comum no planeta até 2030, no seguimento da Declaração da IFLA sobre Bibliotecas em 2013, da Declaração de Lyon em 2014  e de decisões das Nações Unidas em 2015.

Recomenda-se a sua leitura e difusão em bibliotecas de todo o tipo e tamanho. A informação, o acesso democrático aos recursos do conhecimento e a competências em literacia são determinantes no desenvolvimento da população em todos os cantos da Terra.


Publicações em língua portuguesa disponíveis aqui:
E ainda...



Resultado de imagem para as bibliotecas sao para toda a gente


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017



http://static.globalnoticias.pt/ storage/DN/2017/big/ng8196348.JPG



Expresso - ‎24/01/2017‎
A bordo estavam seis pessoas. O helicóptero emitiu um sinal de alerta para colisão e a polícia recebeu testemunhos de pessoas que ouviram uma grande explosão, na estância de esqui de Campo Felice. Lusa. Um helicóptero de emergência com seis ...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

CEI+ Contrato Emprego-Inserção+




O que é
Contrato Emprego-Inserção+

Para quem é
O CEI destina-se a desempregados inscritos nos serviços de emprego, beneficiários de subsídio de desemprego ou de subsídio social de desemprego.
Já o CEI+ destina-se a desempregados inscritos nos serviços de emprego, beneficiários do rendimento social de inserção (RSI). Desempregados que não beneficiem do RSI ou de subsídios de emprego, também podem integrar a medida CEI+, em certos casos.
As pessoas com deficiência e incapacidade são consideradas prioritárias nestes contratos pelo IEFP

Algumas vantagens
podemos ter uma actividade mais variada e receber remuneração certa
não pagamos para poder estar fora de casa
obriga-nos a sair de casa
ajuda....

Alguns problemas
a demora da resposta do IEFP
só pode haver um contrato de um  ano na mesma instituição
no inverno as condições podem ser difíceis de suportar
nem todas as instituições têm condições para pessoas com deficiência e incapacidade :  conforto, acessibilidades, pessoas que integrem no trabalho e dêem formação
não resolve o problema do desemprego

Ler+ para saber+

Contrato Emprego-Inserção e Emprego-Inserção+: tudo o que precisa de saber
http://blog.alertaemprego.pt/contrato-emprego-insercao-e-emprego-insercao-tudo-o-que-precisa-de-saber/

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Inscrições Abertas


Pensão Social de Invalidez

Pensão Social de Invalidez

O que é?
É um apoio em dinheiro, pago mensalmente, para proteger os beneficiários em situações de incapacidade permanente para o trabalho.
É diferente da pensão de invalidez do regime geral porque apoia os beneficiários não abrangidos por qualquer sistema de proteção social obrigatória ou que não têm descontos suficientes para a Segurança Social para ter direito à pensão de invalidez do regime geral.

Quem tem direito à pensão social de invalidez
- Quem é cidadão português, reside em Portugal e não está abrangido por qualquer sistema de proteção social obrigatória;
- Quem é cidadão dos Países da União Europeia, Cabo Verde, Canadá, Austrália e Cidadãos Brasileiros que residam em Portugal e não estejam abrangidos por qualquer sistema de proteção social obrigatório;
- Quem, sendo abrangido por um sistema de proteção social obrigatório, não completou o período mínimo de contribuições exigido para a concessão duma pensão de invalidez
ou esta é de valor mensal inferior ao da pensão social;
Quais as condições necessárias para ter acesso à pensão social de invalidez?
- Ter uma incapacidade permanente para todo e qualquer trabalho (que não seja causada por acidente de trabalho ou uma doença profissional), confirmada pelo Sistema de Verificação de
Incapacidades (SVI);
- Ter mais de 18 anos;
- Não ganhar mais que 168,52€ por mês (40% do Indexante de Apoios Sociais, valor de 2017), antes dos descontos;
- Se for um casal, juntos não podem ganhar mais que 252,79€ por mês (60% do Indexante de Apoios Sociais, valor de 2017), antes dos descontos.
Que formulários e documentos tem de entregar:
Formulários
- RP 5002-DGSS – Requerimento de Pensão Social (Velhice/ Invalidez).
- Mod. CD 136/2012 DGSS – Prova de Insuficiência Económica - SVI Recurso.
- Mod. SVI 7-DGSS – Informação médica - avaliação da incapacidade. (ver nota).
- RV1014-DGSS – Boletim de identificação dos elementos do agregado familiar – cidadãos estrangeiros (se não forem portugueses nem tiverem NISS – Número de Identificação da Segurança Social).
- MG 02-DGSS – Pedido de alteração de morada e outros elementos.
Nota: Este formulário não está disponível no site da Segurança Social. É disponibilizado nos serviços de atendimento presencial da Segurança Social e nos Centros de Saúde.
No menu “Documentos e Formulários”, selecionar “Formulários” e no campo pesquisa inserir o nome/designação (completo ou parte) do formulário ou do modelo.
Documentos necessários
- Cartão de outro sistema de proteção social, nacional ou estrangeiro, em que estejam inscritos;
- Documento de identificação válido (cartão de cidadão, bilhete de identidade, certidão do registo civil ou passaporte);
- Cartão de contribuinte;
- Declaração de IRS (se estiverem obrigados a entregá-la);
- Documentos comprovativos dos rendimentos (se não estiverem obrigados a entregar declaração de IRS);
- Documento comprovativo do valor do património imobiliário se existir (caderneta predial, certidão de teor matricial ou, na sua falta, documento comprovativo de que o imóvel é seu);
- Boletim de identificação dos elementos do agregado familiar – cidadãos estrangeiros –RV1014 (se não forem portugueses nem tiverem NISS – Número de Identificação da Segurança Social);
- Título válido de residência legal, passado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (se forem refugiados ou apátridas);
- Informação Médica (formulário SVI 007);
- Documento de identificação válido (cartão de cidadão, bilhete de identidade, certidão do registo civil ou passaporte), da pessoa que assinou o formulário, caso a pessoa que faz o pedido não saiba ou não possa assinar;
- Documento comprovativo do Número de Identificação Bancária (NIB) que mostre o seu nome como titular da conta (se quiser receber por transferência bancária);
Onde se pede?
Nos serviços de atendimento da Segurança Social.


Fonte da Informação:
Mithós Histórias Exemplares Página do facebook URL: https://www.facebook.com/MITHOSVFX/?fref=nf (acedido 10.01.2017)